Matilha Cultural

Na Matilha, todos são bem vindos. Inclusive os humanos

A Matilha Cultural é uma entidade independente e sem fins lucrativos instalada em um edifício de três andares, localizado no centro de São Paulo. A Matilha integra um espaço expositivo, sala multiuso, café, além de um cinema com 68 lugares.

Fruto do ideal de um coletivo formado por profissionais de diferentes áreas, a Matilha foi criada em maio de 2009 e tem como principais objetivos apoiar e divulgar produções culturais e iniciativas sócio-ambientais do Brasil e do mundo.

“Decidimos reunir diversos ‘textos culturais’ e então ‘publicar’ esse material em nosso espaço como se fossemos um blog do mundo físico, que oferece seu conteúdo de forma fácil e acessível”, explica Rebeca Lerer, diretora da Matilha Cultural. “Nosso foco são produções independentes e que estejam conectadas a questões sócio-ambientais. A Matilha usa a cultura como forma de transformar a sociedade”.

A Matilha não é um espaço imparcial ou contemplativo no mundo atual da instantaneidade da produção de conteúdo: assume uma postura politizada e atua junto a cena independente de cultura. Ao aglutinar projetos e expressões culturais atuais, a Matilha funciona como um centro de idéias coletivas. Muito mais que um centro cultural, a Matilha é também um centro de convergências de idéias que busca, por meio da informação, ativismo e cultura, contribuir para uma sociedade cada vez mais livre e consciente.

Toda programação da Matilha Cultural é gratuita ou a preços populares. O espaço pode ser locado para eventos privados e a renda dessa locação é revertida para financiar projetos culturais e sócio-ambientais da entidade.

A Matilha apresenta projetos musicais fixos na casa, sempre no horário do happy hour (18h-23h): Aquecimento Central, com o crew de Djs Clã Leste, às terças-feiras; Mondo Cane, com Djs MZK e Wojtila, às sextas-feiras; e FunkDogDelic, com DJ Branco e convidados dos clássicos do funk e da soul music, aos sábados.

Antes de ser inaugurado, o prédio da Matilha Cultural passou por uma grande reforma e construção da infra-estrutura, para poder minimizar seus impactos ambientais e sociais. Toda a madeira utilizada no espaço, bem como os móveis, são feitos de madeira de reaproveitamento ou certificada.

O cardápio do café é vegetariano e dá-se prioridade a produtos orgânicos e de cooperativas. Não é vendida água engarrafada e não é permitido o uso de copos e embalagens descartáveis. Todo resíduo orgânico é compostado no jardim e utiliza-se papel reciclado nos seus impressos. Além disso, os cães são bem vindos em todos os espaços do prédio da Matilha.

“Na relação com fornecedores, parceiros e clientes, repassamos nossa política de sustentabilidade para honrar o compromisso  de reduzir as emissões de poluentes decorrentes de nossa operação”, afirma Rebeca Lerer.

ATIVISMO

Campanha de arborização

A Matilha Cultural segue com seu projeto de arborização, que teve início em seu entorno, na Vila Buarque, região de São Paulo mais conhecida como Boca do Lixo.

Para interagir com moradores, trabalhadores e entidades da região, a Matilha promove uma campanha pela arborização urbana. Plantar árvores melhora o clima do centro da cidade, que já sofre com um aquecimento local provocado pela grande quantidade de concreto, ausência de verde e pelo excesso de veículos.

Além de acionar órgãos municipais responsáveis pelo tema, estão sendo coletadas assinaturas da população. Em dezembro de 2009, iniciando o projeto, a Matilha recuperou canteiros abandonados e plantou 18 árvores nas ruas da Vila Buarque.

Vaga Viva

Na tarde do primeiro sábado de cada mês, a Matilha realiza a ação Vaga Viva, que consiste na ocupação de vagas de estacionamento de carros com bancos, plantas e pessoas. A mensagem dessas praças de convivência improvisadas é a retomada do espaço público pelo cidadão. Durante as Vagas Vivas, a Matilha discute e promove a campanha de arborização do centro através de oficinas culturais, cinema e música.

INFRA-ESTRUTURA

Estruturalmente a Matilha tem um ambiente único em São Paulo, não só pelo conceito mas por oferecer um espaço de mais de 350m2 destinados ao público, divididos em 3 andares:

1º Andar: galeria de arte e espaço do café com petiscos vegetarianos e acesso gratuito a internet. A galeria é o espaço mais freqüentado da Matilha e é utilizado para abrigar mostras de arte, fotografia e outras produções visuais.

2º Andar: arena multimídia modular para apresentação de pequenos shows, espetáculos de dança e teatro, workshops etc.

3º Andar: sala de cinema para 68 pessoas, além de dois lugares para cadeirantes, possui sistema de áudio integrado, projetor profissional de 35mm e projetor para formato digital. O Cine Matilha nasceu para exibir produções cinematográficas independentes, filmes e documentários de relevância sócio-ambiental e proporcionar o acesso do público a festivais e mostras da sétima arte. Na sala, bem como em todo o prédio, os cães são bem vindos.

Compartilhar