Infectious Grooves

Com fórmula preparada nos anos 1990, Infectious Grooves aumenta a dose de metal e funk no SWU

Um dos mais relevantes nomes da safra de bandas que misturaram metal e funk, nos anos 1990, vem ao Brasil para o SWU. O Infectious Grooves toca no festival no dia 9 de outubro, na mesma noite em que se apresenta o Rage Against the Machine, ícone no coquetel dos dois gêneros.

O Infectious Grooves é um projeto paralelo de Mike Muir, líder do Suicidal Tendencies. Ele montou o grupo com o baixista Robert Trujillo, que mais tarde saiu para integrar o Metallica. A banda ficou parada durante sete anos. Em 2008, voltou à ativa com Steve Brunner no lugar de Trujillo. Eric Moore assumiu a bateria, posto que na concepção inicial foi de Stephen Perkins, então recém-saído do Jane’s Addiction. O guitarrista Dean Pleasants, da formação original, permanece.

Na primeira fase, o Infectious Grooves gravou quatro discos. “The Plague That Makes You Booty Move”, o álbum de estréia, de 1991, tem os vocais de Ozzy Osbourne na faixa “Therapy”. A chegada do IG ao mercado mexeu na cena rock de tal forma, na época, que o grupo foi convidado para participar de um filme. A banda aparece em “O Homem da Califórnia” (Encino Man), de 1992, comédia estrelada por Brendan Fraser, de “A Múmia”.

A segunda etapa da carreira, após o hiato, ainda não gerou um CD, mas a banda tem um quinto disco pronto para ser lançado. Muir e a turma devem mostrar algumas das novas canções em Itu, para o público do SWU.

Discografia

  • “The Plague That Makes You Booty Move” (1991)
  • “Sarsippius’ Ark” (1993)
  • “Groove Family Cyco” (1994)
  • “Mas Borracho” (2000)
Compartilhar