Pergunte ao Bob!

Vamos lá, hora de colocar a cuca para trabalhar: o que você perguntaria a Bob Geldof se tivesse essa oportunidade?

Pois bem, acredite se quiser, mas essa oportunidade chegou. Pense, repense, elabore uma pergunta, com no máximo 140 caracteres (incluindo os espaços) e mande para gente! O Portal SWU irá selecionar as 15 melhores perguntas que poderão ser feitas por seus respectivos autores ao vivo, tête à tête, cara a cara com ele, Bob Geldof, músico, roqueiro e criador do lendário evento Live Aid!

E se você achou que a premiação acabaria por aqui, errou. Além de ter sua pergunta respondida e do encontro, ao vivo, com Bob Geldof, os 15 vencedores ganharão, cada um, um par de ingressos para o dia 14 de novembro de SWU Music & Arts Festival 2011 - além de ingressos para o mesmo dia 14 de novembro do Fórum Global de Sustentabilidade.

Preencha o formulário abaixo, envie-nos sua pergunta e fique atento no Portal SWU!

Cada pessoa poderá participar com apenas uma pergunta, portanto, capriche!

LER REGULAMENTO

SWU – Começa com você

RESULTADO

Confira a lista de participantes que faturaram um par de ingressos para o Fórum e para o Festival no dia 14 de novembro, além de um papo cara-a-cara com Bob Geldof:

Deborah Junqueira:

O que existe de diferente entre o século XXI que você imaginava há 25 anos e o século XXI em que você vive?

Aline Carolina de Oliveira Machado Prata:

Em 85, você linkou música e justiça social. Hoje, como você vê a relação música-meio ambiente, outro importante pilar da Sustentabilidade?

Cassio Roberto Valadao:

O Live Aid teve o retorno que voce imaginou em termos de contribuição para a melhoria do mundo em que vivemos?

Felipe Renan de Andrade:

Qual foi seu sentimento quanto as ofensas ao Ban Aid/Live Aid, no albúm ‘Pictures Of Starving Children Sell Records’, da banda Chumbawamba.

Misael Mainetti:

Você e Bob Dylan se falaram após a declaração dele sobre o Live Aid na qual ele ironiza sobre a idoneidade do LiveAid?

Rogerio Vianna Suzano:

Após o Live Aid, Bob Geldof artista ficou à sombra do ativista. Imaginava que o público ouviria mais suas opiniões que suas canções?

Nícolas Londero Gass:

Bob com a sua notável crença na força da música, como você acha que nós podemos trazer a música para nossas ações, sem ficar apenas no som?

Natasha Durski:

O Live Aid, assim como o Live 8, buscava ajudar o mundo através da música. Como a música pode atuar na transformação da esfera social hoje?

Maria Dezolina Giubertoni Grassi:

Quais os hábitos individuais necessários para redução dos impactos ambientais?

Natan Mobley Bertolini:

O amor, tão cantado no rock´n´roll, é uma das importantes armas para a paz e a sustentabilidade, como o praticas no seu dia-a-dia?

Lucas Buttignon:

Você é um ícone na luta contra a miséria. O que te levou a começar essas ações de caridade e pra você, quais foram os reais resultados?

José Paulo Rodrigues Pinelli:

Bob, o que deve ser feito para as ações ambientais e sustentáveis se tornem mais concretas e saiam da discussão e do planejamento?

Davi Januário da Silva:

Como você consegue explicar o poder que a música tem para ao mesmo tempo entreter, divertir, passar uma mensagem e conscientizar as pessoas?

Daniel Augusto Tavares Neves Januário:

Você nunca pensou em promover um festival Live Aid na própria Etiópia, ou pelo menos, na África?

Carolina Vaz de Oliveira:

Onde você estaria se o mundo não precisasse contar com a sua ajuda? Digo. O que faria da vida Bob Geldof, se o nosso mundo fosse perfeito?

This entry was posted in Concursos Culturais. Bookmark the permalink.