10 razões que fizeram o SWU 2011 entrar para a (sua) história

No segundo ano de festival a gente mudou de casa, mas a vontade de fazer um evento para você nunca mais esquecer foi a mesma. O festival, bem mais abrangente, abriu as portas para a música pop, com o furacão do Black Eyed Peas e a banda oitentista Duran Duran, homenageou o rock sulista com o Lynyrd Skynyrd e encerrou com o “show-macumba” do Faith no More. Mas ainda teve muito, muito mais! Separamos 10 momentos que vão fazer você morrer de saudade daqueles três dias em Paulínia!

1 – Primeiro show do Lynyrd Skynyrd no Brasil: Valeu a pena a espera, hein? Uma das bandas mais importantes de southern rock, dona de um dos solos mais memoráveis  da música pisou pela primeira vez em solo brasileiro para fazer um show perfeito. E o espetáculo não foi só no palco, não. Bonito mesmo foi ver os fãs com bandeiras confederadas nos ombros, com a cara pintada de vermelho, branco e azul, prontos para ouvir “Simple Man”, “Freebird” e “Sweet Home Alabama”.

2 – Damian Marley cantando músicas do pai: Além de passear pelos hits de sua carreia solo, Damian “Jr. Gong” Marley fez uma bela homenagem a seu pai, Bob Marley, e emocionou os fãs de reggae na plateia. Com “Get up, Stand up” e “Is this love”, o filho do rei colocou o SWU inteiro para dançar.

3 – Banda vence concurso e abre o SWU 2011: O SWU apoiou um concurso para escolher a banda nacional que abriria, oficialmente, a segunda edição do festival. Foram mais de 600 bandas e quase 2 mil vídeos inscritos. A parada foi dura, mas a banda Cruz desbancou os concorrentes e teve a honra de ser a primeira a pisar no palco do SWU 2011.

4 – Show sangrento do Down: Quem conhece o Phil Anselmo de outros “carnavais” sabe que o show do Down no SWU não seria menos do que animal. Endiabrado, o vocalista berrou, pulou, cuspiu e, já na primeira música, bateu o microfone na própria cabeça. Sangue, suor, riffs pesados e um frontman que dominou da plateia, tão insandecida quanto. E na última música, o hit “Stone the Crow” o filete de sangue ainda estava lá!

5 – Último show do Sonic Youth: Os rumores de separação começaram quando o líder Thurston Moore a baixista Kim Gordon anunciaram o fim do casamento. Não deu outra, a banda declarou, no fim de novembro de 2011, que ia dar “um tempo”. E o show sensacional e barulhento que eles fizeram no SWUfoi o último. Quem viu, viu.

6 – Neil Young no Fórum de Sustentabilidade: Mestre da música folk e engajado nas causas sustentáveis, Neil Young veio ao SWU, no II Fórum Global de Sustentabilidade, para contar a sua experiência com a sua caranga, um Lincoln Continental 1959 transformado em carro híbrido, que não polui. Ah, e quem esteve lá deve ser lembrar: o velho Neil completou 66 anos de vida no dia de sua palestra!

7 – Show do Black Eyed Peas: Já viu uma pista de dança com mais de 60 mil pessoas? Will.I.Am, Fergie e o resto da turma fizeram do SWU uma grande balada! Pump it, My Humps, I gotta a feeling, Boom Boom Pow… nenhum hit dançante foi deixado de lado. E Will.I.Am ainda deu uma de DJ no meio do show, tocou músicas do Rei do Pop, Michael Jackson, e deixou a festa ainda melhor.

8 – Palco alternativo: Menor em tamanho que o Energia e o Consciência, mas não em qualidade. O palco New Stage trouxe grandes nomes da cena alternativa nacional e internacional. Saca só: Ash, Hole e sua intempestiva Courtney Love, o duo Matt & Kim, Is Tropical, Crystal Castle, Sabonetes, Apolonio, Copacabana Club… Fica até difícil dizer qual show foi mais bacana.

9 – Alice in Chains volta ao Brasil: Refeita das tragédias e com um vocalista novo, a banda Alice in Chains voltou ao país para um show nostálgico. A banda lembrou o ex-membro Layne Staley, morto em 2002, com a canção “Black Gives Way to Blue”, e ainda hits grunges como “Would?”, “Man in the box”, “Down in a hole” e “We die Young”. Foi como se anos anos 90 estivessem de volta.

10 – Faith no More monta um “terreiro” no palco: Palco todo branco, cheio de flores e um Mike Patton vestido de Zé Pilintra, bebendo e fumando um cachimbo. Assistir show do Faith no More é ser surpreendido, sempre. Até com o setlist, que “renegou” We Care a Lot, mas mandou clássicos como Epic, Easy, Evidence (cantada em português!) e Ashes to Ashes. Pra completar, Mr. Patton desceu do palco, enlouquecendo os fãs.

(Caroll Almeida)

This entry was posted in Música. Bookmark the permalink.

14 comentários em 10 razões que fizeram o SWU 2011 entrar para a (sua) história

  • Rafael

    agosto 5, 2012

    ver AIC debaixo daquele dilúvio foi absolutamente perfeito!

    Responder
  • Gisele

    agosto 3, 2012

    Ter tido a oportunidade de ver bandas como Sonic Youth, Faith no more, Alice in chains, Down, Stone temple pilots, 311.. simplesmente inesquecível. SWU – Festival maravilhoso.. Amei!!

    Responder

Deixe seu comentário